O fabricante de queijos A-ware simplifica os procedimentos de recolha e embalagem com robôs da FANUC adequados ao setor alimentar

Tarefa: Otimizar os processos de recolha e embalagem em condições controladas de segurança alimentar utilizando uma série de robôs da FANUC.

Solução: Através da introdução de um sistema sofisticado de robôs da FANUC, a A-ware conseguiu resultados impressionantes na sua fábrica de queijos em Zeewold, na Holanda. Os robôs da FANUC são responsáveis por tudo, desde pesar e cortar porções de queijo com extrema precisão até à embalagem e paletização a alta velocidade, tudo isto em condições de segurança alimentar rigorosamente controladas.    

Resultado: Melhoramentos consideráveis na produtividade global e nos tempos de ciclo graças a capacidades de trabalho alargadas e a uma maior fiabilidade.   

Os robôs ajudam a embalar pedaços de queijo de forma rápida e eficaz

A A-ware, sedeada em Zeewolde, já colabora com a Robertpack há dois anos. A especialista em embalagem de Zeewolde forneceu máquinas com robôs FANUC integrados. Os robôs super-rápidos garantem que os pedaços de queijo são embalados e paletizados de forma rápida e eficaz.

O A-ware Food Group é uma organização especializada na maturação, corte, embalagem, armazenamento e transporte de queijo e de outros produtos alimentares em condições controladas. Esta empresa familiar foi criada em 2010, resultando da fusão da Anker Cheese (1962) e da Bouter Cheese (1890). A Anker Cheese tornou-se uma empresa de queijos internacional. Em maio de 2010, as atividades da Anker Cheese foram divididas em duas "novas" empresas: Anker Cheese (atividades comerciais) e A-ware (armazenamento e logística). Em junho de 2010, a A-ware adquiriu a Fresh Support, um fornecedor de serviços independente, na área da embalagem, em particular, do queijo.  A Bouter Cheese centra-se no processamento de queijos holandeses e estrangeiros: maturação, corte, embalagem, distribuição para o maior revendedor dos Países Baixos, entre outros.

Grupo do setor alimentar em expansão

Após a fusão, a empresa expandiu-se além do A-ware Food Group, com um grande número de filiais e cerca de 1600 funcionários. E o grupo continua a crescer. A Schipper Cheese (Zaandam) também acabou de ser adquirida o ano passado, e a própria A-ware decidiu recentemente criar uma fábrica de queijos em colaboração com a Fontera, uma cooperativa de lacticínios da Nova Zelândia. A fábrica ficou operacional em 2014. Nas instalações de Zeewolde, o departamento de embalagem falou com Annelies Vander Hulst, assistente de marketing da FANUC, com Robert van Dien, chefe de TD na A-ware, com Eric van Houwelingen, gestor de projetos na A-ware e com Bertus Visch, gestor de projetos na j Robertpack, acerca da utilização de robôs na embalagem e paletização de pedaços de queijo.

A Robertpack colabora há vários anos com o Bouter Group, sedeado em Culemborg, e já lhe forneceu linhas de embalagem com robôs FANUC. O ano passado, a Robertpack implementou uma linha de robôs na A-ware, sedeada em Zeewolde e, este verão implementou a segunda. Van Houwelingen e Van Dien estão intimamente associados a estes investimentos. Van Houwelingen: ‘Tivemos uma boa experiência com os robôs FANUC, em Culemborg.’ Aqui em Zeewolde, temos robôs de várias marcas anteriores. Especificamos os requisitos dos robôs que pretendemos utilizar. O nosso principal objetivo é de realizar uma determinada função. A linha de embalagem tem de estar perfeitamente operacional; em seguida, prestamos atenção às recomendações dos nossos fornecedores, neste caso a Robertpack.”

Maior integração

Anteriormente, os robôs eram dispositivos autónomos’ afirma Bertus Visch. ‘Atualmente, são instalados em máquinas de embalagem, uma vez que permitem realizar movimentos mecânicos complexos. Esta é certamente uma necessidade absoluta na A-ware, onde é necessário suportar altas velocidades. Quando o sistema de visão e o acompanhamento de linha são importantes, a escolha recai na FANUC.

Annelies Vander Hulst confirma o aumento da utilização de robôs. O nosso fornecimento depende dos construtores de máquinas e dos integradores de sistemas e constatamos que os robôs estão frequentemente integrados na própria máquina, por motivos de eficiência, redução de custos e segurança.

Conhecimentos básicos em prática

O motivo do recente investimento é o aumento da procura no mercado e a procura de uma gama mais ampla. Para a A-ware, a tecnologia robotizada representa um aumento dos conhecimentos. Van Dien: ‘Como é óbvio, as nossas linhas não podem parar. Por isto temos pessoal de assistência especializado internamente e pessoas que receberam formação em operações e serviços na Robertpack. Os nossos montadores têm conhecimentos básicos, pelo que podemos resolver pequenos problemas por nós próprios. O controlo de linha efetuado por vários robôs é viabilizado por um controlo PLC a montante, fornecido pela Robertpack, em que todos os componentes especiais da linha estão integrados, uma vez que neste cenário o robô nunca deve liderar.”

Visch acredita que os conhecimentos adquiridos a nível interno da A-ware representam uma vantagem. ‘Deste modo, é possível a comunicação entre os vários elementos de uma forma diferente e eficaz. A vantagem dos robôs reside no facto de requererem pouca manutenção. Esta é uma experiência partilhada por todos os nossos clientes de robôs.’

120 por minuto

Na A-ware, em Zeewolde, os queijos redondos curados são cortados em pedaços com a precisão de um grama (E-code), sete dias por semana, em 3-5 turnos e posteriormente embalados.  Este processo decorre em 15 linhas, das quais quatro têm robôs. Os dois robôs acima das máquinas de estampagem da nova linha (setor alimentar FANUC M3iA/6S) embalam os pedaços de queijo formados nas duas faixas e posicionam-nos a alta velocidade (120 peças por minuto) e sem deixar o queijo repousar, na embalagem estampada, que é depois fechada. O carregador de caixas é uma máquina integralmente construída pela Robertpack, que inclui 2x robôs FANUC M3A/6S para o carregamento de caixas, elemento eretor sob a caixa, fecho da extremidade do tabuleiro e normalização de tampas.  No fim da linha, um robô autónomo FANUC M-710C/70 paletiza as caixas. A empresa com certificação BRC, IFS, Skal e HACCP cumpre os mais exigentes padrões de qualidade do setor.

Ferramentas decisivas

"As ferramentas e a programação são um importante fator na escolha de um fornecedor’, afirma Van Houwelingen, que menciona que cada vez mais são disponibilizadas soluções robotizadas para robôs. Visch afirma que a Robertpack tem grande experiência nas mãos dos robôs produzidos na própria fábrica. Para Van Dien e Van Houwelingen, o mais importante é que tudo corra sem problemas. ‘Temos cinco fornecedores numa linha com 37 metros de comprimento com muita ou pouca assistência e o aspeto mais crucial é o facto de as máquinas comunicarem entre si,’ afirma Van Dien.

Van Houwelingen considera que é importante não colocar demasiadas marcas de robôs em funcionamento. Temos uma boa experiência com a FANUC e trabalhar com a mesma marca de robôs representa uma vantagem no que diz respeito à manutenção e ao conhecimento.